Redes sociais

Postagem em destaque

Mitos e verdade sobre Psicoterapia

Imagem
A psicologia é uma área do saber onde existem mais mitos que verdades absolutas, e isto porque, quando algumas informações caem no senso comum (com a ajuda da indústria midiática), sofrem distorções quase impossíveis de reverter.

As informações mais distorcidas estão relacionadas ao processo psicoterápico. Alguns mitos encobrem as verdades, o que dificulta o trabalho do psicólogo.


Eis alguns deles:

Mito 1: O psicólogo deve mudar a "cabeça" das pessoas.Jamais. O psicólogo deve verificar junto ao seu paciente, quais os comportamentos excessivos ou deficitários devem ser modulados. Para isto é preciso levar o paciente a modificar alguns pensamentos. Isto se consegue por meio de técnicas como o questionamento socrático, role-play, atividades reflexivas, etc. O executor da mudança é o PACIENTE. O psicólogo só instrumentaliza.
Mito 2 "Psicoterapia é para a vida toda"Nem sempre. Existem casos que algumas sessões podem ajudar o paciente a se ajustar ao seu meio. Neste caso, o …

É amor, só sexo ou amizade?

Não confunda.
psicologa, psicologa bradesco, terapia sexual, psicologia amil, psicologa sulamerica, psicoterapia sexual, terapia do amor

Muitas pessoas (homens e mulheres) me procuram para ajudar a construir uma relação mais saudável com alguém que encontrou apenas uma vez e .... sumiu (ou está sumindo aos poucos).

Geralmente, tiveram alguns  encontros ótimos, houve química emocional, física, intelectual, mas depois esfriou. Eu sei que para a maioria e difícil entender, mas (aparentemente) a química sexual foi tão intensa que confundiu a percepção, levando a pessoa se sentir amada. Porém,  a outra parte não conseguiu manter acesa esta chama (por algum motivo particular dela) e esfriou.

Neste caso podemos imaginar que a química era puramente sexual.
Quando há interesse das duas partes, a relação evolui. Mas quando este interesse é puramente sexual, geralmente a relação fica "empacada" nas trocas de mensagens eróticas, nudes, etc., sem avançar muito para o território do carinho, da atenção que visam construir um afeto sólido. Pode até virar amor, mas o caminho é longo e tortuoso.

Quando há apenas atração sexual:


  • não há predisposição para envolver a outra parte nos acontecimentos cotidianos do dia a dia;
  • não há preocupação com a saúde e o bem estar do outro;
  • não há comprometimento;
  • não há regularidade;
  • não há romantismo (ou existe apenas um romantismo mínimo para seduzir e envolver a outra parte);
  • não ha desejo de ter novos encontros (exceto se a carência sexual for imensa)
  • não há interesse em ouvir a pessoa;
  • Não há ciúme;
  • Não há saudade;
  • há muitos elogios dirigidos ao corpo, ou à forma física;

E quando há amor



Psicologa bradesco, psicologa amil, psicologa sulamerica

Amor na Psicologia


O amor é entendido na teoria de Stenberg (1986) como a variação em função da extensão três elementos básicos: a paixão, a intimidade e o compromisso. As variações possibilitam oito formas diferentes de amar.



Paixão
Intimidade
Compromisso
Desejo passageiro
X
Amizade
X
Companheirismo
X
X
Amor vazio
X
Amor romântico
X
X
Paixão fugaz
X
X
Amor consumado
X
X
X
Inexistência de amor

Quando há amor
  • Há o desejo de manter a pessoa por perto, compartilhar vivências;
  • Há uma tendência a apresentá-la para os amigos e pessoas do mesmo convívio;
  • Sente-se a falta da pessoa;
  • Há o desejo de surpreendê-la seja por meio de presentes ou atitudes;
  • Há o desejo de ajudar;
  • Há preocupação;

E quando há somente amizade?

  • Neste caso, os parceiros se tratam como dois "camaradas" (que eventualmente fazem sexo);
  • Não há nenhum envolvimento afetivo, embora haja respeito, admiração, preocupação;
  • Não há comprometimento em levar a amizade para o status de compromisso emocional;
  • Não há declarações de amor, explícitas ou implícitas, ao contrário, as pessoas tendem a pedir conselhos sobre outros possíveis parceiros;

Certamente estas listas podem ser acrescentadas de outros itens que não chegaram até mim. 

Se você está vivendo uma relação, puramente sexual, ou uma amizade colorida, pense: é isto que você quer? Não está perdendo seu tempo investindo em algo que não vai dar em nada exceto frustração? Se não é isto que você quer, não faça drama, procure seguir em frente, de cabeça erguida.

Postagens mais visitadas deste blog

Pessoas que amam demais

É impossível ser feliz sozinho?

Quando Procurar Terapia?

Ter ou não ser: eis a Questão!!

psicologa convenio bradesco

A Arte de dizer NÂO

Psicologa Amil em SP

O amor não correspondido

Traição: como lidar.

Postagens mais visitadas deste blog

Quando a paixão começa - sintomas da paixão

Pessoas que amam demais

É impossível ser feliz sozinho?